Modelo importado da Inglaterra em 1854
Malaposta

Em 1859, a ligação entre Lisboa e Porto através das carreiras da Malaposta fazia-se em 34 horas e passava por 23 estações de muda. Apesar do bom serviço que as diligências prestavam nessa altura, a sua extinção foi irreversível com o aparecimento do comboio, embora se mantivessem em actividade durante mais algum tempo, como atestam os «manuais do viajante» da época.

22 fevereiro 2015

Eléctrico puxado por burros!

Viajar no tempo à boleia do eléctrico.

O visitante fica ainda a par de algumas curiosidades. Por exemplo, os portuenses tratavam os eléctricos pelo nome da nacionalidade dos motores que usavam: eram os "americanos", os "belgas" ou os "italianos". Além de contar histórias, como a do eléctrico 163, que caíu ao Rio Douro em 1911 (no acidente morreram 14 pessoas), o museu exibe com orgulho o número 500, o último a ser construído na STCP, designação adquirida após 1946, altura em que a Câmara do Porto ficou com a exploração da rede de transportes.
O Museu do Carro Eléctrico, que conta com 35 mil visitantes por ano, tem disponíveis vários programas - escolares (visitas teatralizadas), de aniversário, para a família e para a terceira idade - e tem ainda uma frota de cinco veículos de aluguer para passeios em grupo.
O museu dispõe ainda de um guia de visita em braille para cegos ou pessoas com visão reduzida. "Está previsto para breve um sistema áudio, em português e inglês, para acompanhar os visitantes", revelou Cristina Pimentel.Eléctrico de tracção animal - Só faltam os burros e o engenheiro sem canudo!





















Museu conta a história da rede de transportes do Porto





Actualmente só existem três eléctricos a circular na cidade do Porto. Mas, em tempos, chegou a ser o único meio de transporte dos portuenses. A história conta-se ao longo do passeio pelo Museu do Carro Eléctrico, em Massarelos.
Ao todo, o museu tem 23 veículos. O espaço não permite que todos se exibam ao mesmo tempo, mas todos contam a história da mesma forma. "É uma exposição cronológica, a partir do carro americano [de tracção animal]", explicou Cristina Pimentel, directora do museu, adiantando que "o Porto foi a primeira cidade a ter carro eléctrico na Península Ibérica".






Os trilhos da história
O carro americano número 8, de tracção animal, surgiu no Porto em 1872 e representa o início da rede de transportes na cidade. Em 1878, surgiu a máquina a vapor, mas não foi do agrado geral. "Os portuenses queixavam-se muito do barulho e da sujidade que fazia", disse a responsável.
A tracção eléctrica surgia em 1895 com a Companhia Carris de Ferro do Porto, que dois anos antes se fundira com a Companhia do Carril Americano do Porto à Foz e Matosinhos, mantendo a empresa o nome da primeira.
Ao longo do percurso, os eléctricos mostram as suas diferentes formas e feitios. Todos eles circularam pela cidade. À excepção do eléctrico 100, a réplica de um veículo totalmente aberto, que circulou no Porto entre 1910 e 1928. Como os dois exemplares foram destruídos num incêndio, o museu apresenta uma cópia fiel ao original
.




















Etiquetas:

Home»»Hi!

1 Comments:

At 31 agosto, 2007 21:23, Blogger martelo said...

desgraçadas das alimárias quando desciam as calçadas...

 

Enviar um comentário

<< Home

since 05.12.2005

  • [_Top of Page_]
  • Malaposta

    Subscribe to: Posts (Atom)

    Referer.Org: Referer.Org.Feeds Free counters!