Modelo importado da Inglaterra em 1854
Malaposta

Em 1859, a ligação entre Lisboa e Porto através das carreiras da Malaposta fazia-se em 34 horas e passava por 23 estações de muda. Apesar do bom serviço que as diligências prestavam nessa altura, a sua extinção foi irreversível com o aparecimento do comboio, embora se mantivessem em actividade durante mais algum tempo, como atestam os «manuais do viajante» da época.

14 fevereiro 2007

Poesia



Um dia, mortos, gastos, voltaremos
A viver livres como os animais
E mesmo tão cansados floriremos
Irmãos vivos do mar e dos pinhais



O vento levará os mil cansaços
Dos gestos agitados, irreais
E há-de voltar aos nossos membros lassos
A leve rapidez dos animais.



Só então poderemos caminhar
Através do mistério que se embala
No verde dos pinhais, na voz do mar,
E em nós germinará a sua fala.




Sophia de Mello Breyner Andresen (pesquisa Google)

Etiquetas:

Home»»Hi!

2 Comments:

At 14 fevereiro, 2007 17:09, Blogger magnolia said...

Gosto da poesia de Sophia de Mello Breyner, e este poema é lindo. Consegue transportar-nos para junto da natureza e faz-nos sentir o cheiro dos frescos pinhais...
A minha poetisa favorita é a Florbela Espanca. Pois... tem a ver! Nascemos no mesmo local. Será por isso?
Beijo.

 
At 14 fevereiro, 2007 20:53, Blogger martelo said...

ou finalmente a calma...

 

Enviar um comentário

<< Home

since 05.12.2005

  • [_Top of Page_]
  • Malaposta

    Subscribe to: Posts (Atom)

    Referer.Org: Referer.Org.Feeds Free counters!