Modelo importado da Inglaterra em 1854
Malaposta

Em 1859, a ligação entre Lisboa e Porto através das carreiras da Malaposta fazia-se em 34 horas e passava por 23 estações de muda. Apesar do bom serviço que as diligências prestavam nessa altura, a sua extinção foi irreversível com o aparecimento do comboio, embora se mantivessem em actividade durante mais algum tempo, como atestam os «manuais do viajante» da época.

12 junho 2006

Infertilidade


Substâncias químicas ameaçam fertilidade. A Greenpeace alerta para o aumento do número de casos nos países indus trializados.

Num estudo agora publicado, com o título "Frágil: Saúde Reprodutiva e Exposição Química", a organização explica que a exposição a produtos químicos, usados em artigos de vestuário, cosméticos e aparelhos electrónicos, é uma das causas da infertilidade. O estudo revela que, nos últimos 50 anos, a quantidade de esperma produzido baixou para metade, a fertilidade dos casais diminuiu 50 por cento, desde 1960, e o cancro dos testículos é uma patologia cada vez mais comum. Esta tendência nota-se particularmente em algumas zonas rurais dos Estados Unidos e Canadá, bem como na Suécia, na Alemanha, na Noruega, no Japão, na Holanda, na Dinamarca e na América Latina. O relatório, elaborado a partir da compilação de vários estudos científicos recentes, refere ainda "a relação de natalidade rapazes/raparigas, tradicionalmente favorável aos rapazes, inverteu-se".

Segundo o documento, uma das causas para a deterioração da saúde reprodutiva é a exposição a agentes químicos, presentes em produtos tão comuns como o detergente, perfumes, cosméticos, carpetes, aparelhos electrónicos ou peças de vestuário. Alguns dos inimigos da fertilidade humana nomeados são os alquilfenois e aparentados (comuns em detergentes e produtos de cuidado do corpo), os ftalatos (plastificantes, solventes e fixadores de certos cosméticos), os compostos organoestanhados (agroquímica, catalizadores), o bisfenol-A e derivados (produção de plástico para biberões, CD, pára-brisas) e os almíscares artificiais (misturas de fragrâncias para detergentes, tecidos, amaciadores de cabelo e certos cosméticos perfumados).
David Santillo, um dos membros da organização e co-autor do estudo, apela "para que as substâncias químicas que sejam potencialmente prejudiciais aos humanos sejam retiradas e se utilizem alternativas mais seguras".

in Dica.

Etiquetas:

Home»»Hi!

1 Comments:

At 12 junho, 2006 14:15, Blogger Sofocleto said...

Que importância têm a saúde ou a vida humanas para o lucro? Nada pode colocar em causa a “competitividade” e o “crescimento”.

 

Enviar um comentário

<< Home

since 05.12.2005

  • [_Top of Page_]
  • Malaposta

    Subscribe to: Posts (Atom)

    Referer.Org: Referer.Org.Feeds Free counters!